PARA LER, REFLETIR E EVOLUIR

  • Você é uma pessoa sensível ou reativa?





    Ela senta de frente para mim como quem precisasse de atenção, apoia os cotovelos sobre os joelhos, entrelaça os dedos das mãos e com os polegares segura seu queixo, sustentando o peso da sua cabeça que, naquele exato momento, parecia pesar muito. Suspira. Olhando de baixo pra cima se esforça um pouco diz:

    _ Eu não aguento mais, as palavras dele me machucam muito. São lâminas afiadas que cortam meu coração todos os dias.

    Olha para o chão e inevitavelmente chora. Ela precisa chorar. Depois de um tempo continua:

    _ Sou muito sensível, e por mais que ele diga que me ama, às vezes não dá para aguentar as coisas que ele me fala.

    Que coisas? Pergunto eu.

    Ela suspira. Olha de esguelha para a janela enquanto pensa na pergunta que fiz. Depois de certo tempo, responde:

    _ Eu me irrito quando ele me julga sem saber.

    Eu pergunto como ele costuma julgá-la.

    Quase que instantaneamente, desta vez gesticulando muito com as mãos e braços, ela diz:

    _Ele fala que sou egoísta e orgulhosa, é o que mais me irrita. Isso é mentira! Como me irrita! E tudo isso me machuca muito pois as palavras cortam como faca, não aceito que ele me julgue assim o tempo todo. Por ser sensível demais fico mal o dia todo! Perco o meu dia!


    Frequentemente vejo pessoas “perderem a cabeça” ao se sentirem atacadas com “julgamentos” alheios. O que eu chamo de ataque verbal, direto ou indireto. No diálogo real acima, coloquei em negrito algumas palavras chave.



    É imprescindível que você perceba uma diferença substancial. Sensibilidade é por demais diferente de reatividade. A grande maioria das pessoas que se diz sensível é na verdade reativa, e reage ao ponto de sequer aceitar que pode estar errada quanto isso: a diferença de significados.

    >>> Me acompanhe pelo Facebook, Twitter e Youtube

    Pessoas reativas geralmente pensam estar sendo julgadas, condenadas, injustiçadas a todo instante, e reagem de imediato a esses possíveis “julgamentos”. Esta reação, dependendo do grau e tipo de expressão, pode causar grandes prejuízos para a pessoa reativa. Além de afetar psicologicamente, através da culpa, ressentimento, aumento de ansiedade e por aí vai, é quase certa a influencia na vida social do indivíduo. Ninguém gosta de uma pessoa agressiva, descontrola e que sempre quebra o clima agradável do ambiente, não é mesmo? É como se estivessem preparados para um ataque iminente, e assim, a qualquer sinal de crítica (um possível ataque) reagem “defendendo seu ego” a todo custo. Nem sempre uma crítica é um ataque, não é verdade?

    A pessoa sensível, por sua vez, diante de uma agressão verbal, crítica ou coisa parecida, sente, interpreta, analisa se aquilo é bom ou não, certo ou não, conforme seus próprios parâmetros, e ao final, decide qual a melhor forma de dar o feedback (a resposta), ficando em silêncio ou reagindo da forma menos danosa possível, evitando assim criar um fator estressor para si mesmo.

    É claro que a reação do ser humano, seja ele mais propenso a ser reativo ou sensível, depende muito de como as emoções o afetam. A reatividade é altamente influenciada por um descontrole emocional. A sensibilidade é justamente seu contrapeso. É o controle da impulsividade em expressar as próprias emoções. Não é repressão, é saber expressar o que sente da forma mais adequada possível. Quanto menos danos emocionais tivermos melhor, não é?

    A pessoa do diálogo acima é muito reativa, e justifica erroneamente sua irritabilidade dizendo ser sensível. A velha ideia de que pessoa sensível é aquela que chora com facilidade, que se irrita toda hora. É justamente o contrário!


    A reatividade pode destruir a sua vida. Com o tempo, esse comportamento sendo recorrente, cria-se um hábito que se interliga as reações instintivas da parte mais primitiva do seu cérebro. O que acontece então são reações emocionais descompensadas ao menor estímulo. Seu comportamento passa a ser indesejado pelas outras pessoas e até por você mesmo. Surge então um ciclo onde o mundo parece conspirar contra você. Tudo dá errado. Tudo incomoda você. Tudo afeta suas emoções e a justificativa para seu descontrole parece sempre vir de algo externo a você mesmo.



    A dica inicial é, responsabilize-se pelo que sente e comece a refletir sobre o porquê de se incomodar tanto com certos comportamentos. É possível que haja uma disfunção na forma como organiza seus pensamentos. É a sua interpretação, feita ao longo de vários anos, que impulsiona a sua reatividade.

    Para finalizar, é importante ressaltar que ataques verbais ou físicos podem vir a qualquer momento e de qualquer pessoa. O fato de ser uma pessoa sensível ou reativa não altera a agressão recebida, apenas pode evitar maior sofrimento e possíveis traumas por parte de quem interpretou todo o ocorrido.

    Você é uma pessoa reativa ou sensível? Conhecem alguém assim?

    P.S.: Leia meus outros artigos e me adicione nas redes sociais.

  • Você também vai gostar de ler